Jurandy do Sax

Jurandy do Sax

Na minha opinião, O turismo aqui na praia do Jacaré em Cabedelo PB, retomou o crescimento. Desde o mês Julho, exatamente quando fez um ano da retirada dos Bares, percebe-se que o fluxo de turistas vem retomando os níveis anteriores. Agora com mais opções de contemplação: as pessoas podem assistir ao Por do sol do alambrado da Praia do Jacaré e também dos Barcos Catamarãs que fazem um passeio terminando no local onde Jurandy do Sax executa  diariamente o Bolero de Ravel, muitas vezes sincronizando o acorde final da música com  o último raio de sol no horizonte! Se você ainda não conhece, venha vivenciar essa magia!  Se você já conhece, volte e venha se encantar vivenciando essa magia!

Momento de descontração!

Momento de descontração ontem anoite no restaurante CASA DO MATUTO em Natal RN, em companhia do amigo Sandro Becker (cantor forrozeiro)! aguardando o inicio do show Noite Arretada, que foi um sucesso!

Joao Pessoa Praia do Jacare Jurandy do Sax Por do Sol 2O espetáculo ocorre todos os dias, mas nem por isso tem menos encanto. Confira cinco lugares onde o fim do dia é digno de aplausos e com trilha sonora.

Jericoacoara

Não importa o vento nem a areia que bate com força nas pernas e nas costas. Subir a Duna do Pôr do Sol para assistir de lá ao espetáculo da natureza faz parte do roteiro de todos que visitam Jericoacoara (CE).Por volta das 17 horas já se nota o movimento de moradores e turistas rumo à montanha de areia. Dali eles só saem quando realmente anoitece - e após um longo e empolgado aplauso.

Búzios

A Praia da Armação não é boa para banho. No entanto, não há lugar melhor na cidade da Região dos Lagos (RJ) para curtir o fim do dia. A estátua que homenageia os pescadores completa o cenário.

Cabedelo

O pôr do sol na praia fluvial do Jacaré, em Cabedelo (PB), virou um acontecimento graças a Jurandy do Sax, que todos os dias, pontualmente às 17 horas, sobe num barco e toca o Bolero de Ravel. Descrito assim, parece um tantinho brega. Mas o clima é tão legal, com todo mundo nos bares à beira-rio, que ninguém deveria resistir.

Florianópolis

O grande segredo da Praia Barra da Lagoa, em Florianópolis, fica no fim de um trilhazinha. Após uma caminhada de 20 minutos, você chega a piscinas naturais que convidam a um mergulho. É dali também que se tem uma panorâmica privilegiada do sol encerrando mais um dia e se escondendo atrás dos morros que limitam o outro lado da praia.

Boiçucanga

Um dos poucos lugares do litoral paulista onde é possível observar o sol descer sobre o mar. Quando o astro começa a cair, as areias do balneário do litoral norte ficam lotadas. Não é raro o espetáculo terminar com aplausos.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos,por-do-sol-nota-10-em-territorio-nacional,686783,0.htm

paris francaO músico paraibano Jurandy Felix da Silva (Jurandir do Sax) está em Paris participando das festividades do ano de comemoração do Brasil na França, onde oficialmente estão acontecendo 400 eventos distribuídos por todo o país e outros tantos extra-oficiais. Jurandy desembarcou na cidade mais verde do mundo vestido de vermelho e preto, representando as cores da Paraíba, sua terra natal. Durante a viagem o músico teve como companhia o cantor Lenine.

Em homenagem aos dois, o sol brilhava esperando o Bolero de Ravel, para se esconder docilmente nos céus de Paris pertinho do rio Sena, onde Jurandy irá, às 21h30, tocar na Peniche "Le KIOSQUE FLOTTANTE" 55 quai François Mauriac 75013 – Paris, lugar em que os funcionários administrativos da embaixada do Brasil costumam se reunir.

Alguns músicos e artistas brasileiros há muito tempo radicados em Paris estavam no aeroporto para apresentar suas boas vindas ao compositor, como o cinegrafista e estudante de antropologia Eduardo Xavier, apoiado por Renato Velasco, Luzimar Evangelista e a médica Camile Cabral, destaque transsexual conselheira da prefeitura do 10° Eme Arrondissemant, que desenvolveu um grande trabalho de apoio com os brasileiros do Bois de Bolonhe.

Por causa do ano do Brasil na França, desde março os produtos brasileiros aparecem nas maiores lojas de departamento como galeria Lafayette Printemp e Samaritane; e a força de comunicação da mídia está tão bem dirigida que até nos supermercados de grandes e pequenas superfícies, como Carrefour et Lecrerc ou mesmo as redes G20 e shoppings, faz-se todas as compras ao som da música brasileira.

As cores verde e amarela estão expostas por toda parte, principalmente, para a solenidade do dia 14 de julho, quando o presidente do Brasil e da França abrirão o cortejo oficial.

DSC01054O músico Jurandy do Sax recebeu da Assembléia Legislativa da Paraíba a Medalha Augusto dos Anjos na manhã desta quinta-feira (13/8). A honraria é concedida em reconhecimento aos artistas e produtores culturais paraibanos, cujo desempenho em suas atividades culturais, enaltecem o nome da Paraíba.

O autor da propositura, deputado estadual Dunga Júnior (PTB) justificou a iniciativa lembrando as mais de 3 mil apresentações de Jurandy no pôr-do sol da praia do Jacaré com o Bolero de Ravel. O parlamentar apresentou a trajetória de vida do músico, ressaltando suas realizações e projetos.

“É uma homenagem da Paraíba a um homem que teve a idéia de montar um cenário, que hoje é orgulho e que representa o Estado pelo mundo afora. É um momento ímpar, de congraçamento, de áurea e de Deus. E nós temos que homenagear esse grande homem que faz a diferença, mostrando que a Paraíba é bela, inteligente e muito rica”, afirmou ele.

Com o plenário Deputado José Mariz repleto de autoridades, amigos e familiares, o homenageado agradeceu à ALPB pela concessão da medalha. “Sinto-me honrado e gratificado. Mostra o respeito não só do público, mas demonstra que os poderes públicos estão percebendo também. Além da importância da Medalha, que sabemos, ser uma das mais importantes da Paraíba”, disse ele.

Ao final, Jurandy fez uma apresentação com as músicas Asa Branca, Ave Maria e o tradicional Bolero de Ravel emocionando os presentes.

+ Sobre Jurandy

j mQuem por este Brasil afora não ouviu falar de Luiz Gonzaga que, em parceria com Humberto Teixeira, é autor e intérprete da música Paraíba Masculina?

Quando a lama virou pedra e mandacaru secou

quando ribançã de sede bateu asas e voou

foi aí que eu fui me embora carregando a minha dor

hoje eu mando um abraço pra ti pequenina

Êta pau pereira que a princesa já roncou êta paraíba mulher macho sim senhor

êta pau pereira meu bodoque nem quebrou

hoje eu mando um abraço pra ti pequenina

Paraíba masculina mulher macho sim senhor (bis)

Saí pra lá peste

Hoje, ao invés de ir embora, o paraibano prefere dar uns “rolés” por aí e voltar para receber gente do mundo todo em seu torrão natal, com muito orgulho.

Uma das principais atrações da boa terra pode ser encontrada em dezenas de vídeos inseridos no “youtube” sobre o pôr-do-sol na famosa Praia do Jacaré, que não me canso de admirar sempre que tenho a oportunidade de ir a João Pessoa.

Você dirá:

- Pôr-do-sol é bonito em qualquer lugar do mundo.

- Com certeza. Mas posso lhe garantir que esse tem algo de muito especial. Para assisti-lo, você necessita chegar por volta de 4 horas da tarde, munido de câmara fotográfica ou filmadora, de preferência. Faça um curto passeio pela orla para escolher um dos seis bares onde estão se apresentando músicos regionais e instale-se. Peça algo para beber e, se a visita ocorrer em alta temporada, curta a movimentação intensa de visitantes, que tentam escolher o melhor ângulo para verem, ouvirem e fotografarem ou filmarem o evento, que dura apenas 15 minutos, dentro do calmo e estreito braço do mar, à frente. Ali circula pequenos barcos com turistas que preferem participar do acontecimento o mais proximamente possível.

Às 17 horas em ponto, interrompem-se as apresentações musicais nos bares para dar lugar às primeiras notas que saem de um único saxofone, vindas de uma pequena canoa, que é movimentada lentamente da direita para a esquerda da orla por um remador.

O passageiro, apenas ele - o Jurandir do Sax - emociona a todos com o Bolero de Ravel naquele pequeno instrumento de sopro, tocado de pé. O barquinho vai passando na frente dos bares, enquanto ao fundo o sol se põe, refletindo nas águas os tons dourado-avermelhado, sob os quais circulam também os outros barcos. É impressionante constatar que o espetáculo do pôr-do-sol e o concerto duram exatamente 15 minutos cravados.

Desta vez pedi ao meu amigo Adriano que filmasse e ele me presenteou com um DVD, que poderá ser assistido no meu site www.sandrafayad.prosaeverso.net

Três dias depois, em um pequeno shopping de João Pessoa, após outra apresentação em ambiente fechado, onde ouvimos vários clássicos da MPB tocados por Jurandir e seu grupo, pude perceber que ele é dono de uma simplicidade e de um astral de fazer inveja. Ao falar do seu trabalho e da oportunidade de se apresentar ali, onde também ouviríamos Antonio Carlos e Jocafi, demonstrou muita emoção e valorizou a oportunidade. Nós é que ganhamos duplamente.

Aproveitei para conversar com ele e me fotografar ao seu lado.

Sempre sorridente, contou um pouquinho da sua história:

- Comecei a tocar instrumento de sopro aos 16 anos. Todos os dias eu ia para a Praia do Jacaré assistir ao pôr-do-sol levando meu sax. Ali sozinho comecei a acompanhar o evento tocando Bolero. Deu no que deu...

Hoje Jurandir é conhecido em todo o mundo, mas mantém a simplicidade e a gentileza típicas de um bom paraibano.

Estão ambos de parabéns: o Jurandir e a Paraíba.

A eles e aos meus editores e leitores, desejo que as festas de fim de ano sejam acompanhadas de ótimos momentos de aproximação entre semelhantes e entre afins do nosso querido Planeta, que é o quinhão destacado dentro do Universo por Deus para a nossa existência.

Por do Sol do Jacare Há 20 anos, a proprietária do um belo e badalado restaurante da Praia do Jacaré, em João Pessoa, reuniu um grupo de amigos no seu estabelecimento para escutar com eles a triha sonora do filme "Retratos da Vida" e bem no momento em que acontecia o por do sol no local. A música que tocava era a magistral obra de Maurice Ravel, o "Bolero de Ravel".

A comunhão do por do Sol com a música sensibilizou todos os presentes, tornando-se uma prática comum no bar do Jacaré reunirem-se grupos para assistir à despedida do Sol. Em 1993, Jurandy do Sax tocou a música pela primeira vez. Mas foi em 2000, ao ouvir a execução da música tocada mecanicamente, que seu espírito de músico aflorou. O público presente ficou fascinado pela beleza da apresentação que se tornou um acontecimento imperdível, que passou a ocorrer diariamente.

Em janeiro de 2001, o famoso músico paraibano teve sua segunda inspiração profissional: a de tocar a canção em uma embarcação que o trazia de algum ponto do rio, em um bote remado por um rapaz, para levá-lo das margens até o pier do jacaré Bar. Muitas vezes, Jurandy conseguiu sincronizar o último acorde do "Bolero de Ravel" com os últimos raios do por-do-sol.

Presencio e fico mravilhado

A partir daí, o espetáculo tornonu-se célebre e foi considerado como uma apresentação preciosa para o impulso do turismo local e hoje é visto como um dos mais atraentes pontos turísticos do Estado da Paraíba". Todas as grandes mídias como sd redes de tv do país e jornais famosos como O Globo, Folha de São Paulo e até a rede internacional de tv americana CNN e Sony se interessaram em fazer reportagens e cobrir o evento.(assistam ao vídeo)

Em 21 de julho de 2009, eu, Cadhu Cardoso, tive a oportunidade de assistir ao espetáculo e me encantar. No momento em que Jurandy executava a canção "Bolero de Ravel", uma forte chuva caía bem na hora. Quem, como eu, que estava no restaurante de onde se contempla o espetáculo não foi atingido pela torrencial chuva. Mas Jurandy estava lá. E declarou: "Agradeço a Deus , a chance de realizar minha 3.165 aprsentação e mostrar meu trabalho mesmo com esta forte chuva".

Sinceramente, foi de lavar a alma. Porém, sou eu quem realmente agradeçe a ele e a Deus por me permitirem poder contemplar um espetáculo desta magnitude.

fonte: SITE CADHU CARDOSO

20139111293367Ana Siviero, Assessora de Jurandy, disse que é importante transformar o Jurandy do Sax em uma celebridade internacional através de ações de marketing. Um bom exemplo disso é a busca do músico para ser incluído no Livro dos Recordes (Guinnes Book) como o músico que mais executou o Bolero do Ravel no planeta. São quase 365 dias de apresentações por ano, dia-a-dia na Praia do Jacaré, e mais de três mil execuções desde que iniciou essas apresentações. “Esse registro vai alavancar ainda mais a carreira do Jurandy, da mesma forma em que transformará o Jacaré ainda mais conhecido nacional e internacionalmente”, enfatizou a empresária.

Seguindo a estratégia de marketing que está sendo traçada, o músico passou a ter uma nova marca, com logomarca e tudo, como se fosse uma empresa. A partir de então ele terá viabilizada a fabricação de pequenas lembranças todas em torno dele, como um personagem. Jurandy deixará de ser apenas um produto para curtição de final de tarde, passando a ser uma celebridade viva, onde as pessoas poderão conversar, tirar fotos e pegar autógrafos.

Uma das primeiras medidas para melhorar o “produto Jurandy” já começará a ser sentida pelo público. Está em fase de instalação de equipamentos que centralizará o som nos estabelecimentos comerciais às margens da praia do Jacaré. A central ficará em um dos bares, de onde o som será emitido para todos os outros, saindo de forma uniforme e com a mesma qualidade. Durante o show do músico, que dura em torno de 45 minutos, todas as pessoas terão a oportunidade de escutar o Bolero de Ravel de maneira uniforme, sem interferência técnica.

13092009 1Jurandy do Sax abriu o tradicional evento da Família Acioly com uma comovente homenagem a Nossa Senhora.

O Forracioly já pertence ao calendário de eventos da cidade, atraindo pessoas de todos os lugares do Brasil que buscam uma festa de forró autêntica.

Tudo começou com uma festa familiar, que reunia parentes e amigos em volta da fogueira na noite de São João na fazenda do coronel Acioly, adquirida em 1949. Em 1985, foi criada a marca Forracioly e a cada ano, o festejo ganhava mais corpo e convidados. Hoje, o evento reúne em torno de 4 mil pessoas e sempre traz atrações de peso do forró pé-de-serra como Flávio José, Jorge de Altinho e Nando Cordel. A renda gerada com o evento também beneficia a Fundação Nossa Senhora da Conceição, voltada à alfabetização de crianças na comunidade de Marés.

(Fonte: Assessoria Clic News).

Joao Pessoa Por do Sol Praia do Jacare Artesanato Jurandy entrandoO Caderno de Turismo do jornal Folha de São Paulo, edição desta quinta-feira (17), tem como destaque a Paraíba. As matérias são assinadas pela jornalista Priscila Pastre-Rossi que esteve visitando João Pessoa, Cabedelo, Conde e Bananeiras entre os dias 02 e 06 deste mês. A cobertura jornalística teve apoio logístico da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-PB), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e Federação do Comércio (Fecomércio).

Nas páginas do Caderno de Turismo, Priscila Pastre-Rossi relata as “dez maneiras de amar a Paraíba”; conta a história do músico Jurandy do Sax (atração do pôr do sol na praia do Jacaré, em Cabedelo, onde ele se apresenta tocando o Bolero de Ravel todos os dias do ano); dá dicas sobre a culinária regional e fala sobre alguns pratos criados por chefs de cozinha de restaurantes mais sofisticados. O leitor também fica sabendo que em João Pessoa existe uma obra do arquiteto Oscar Niemayer e um Centro Histórico preservado e cheio de monumentos e antigos casarões. Ela não esquece de informar que a cachaça produzida em Bananeiras é uma das mais apreciadas do país, tipo exportação.

Artes – Outra iniciativa da jornalista foi sugerir aos leitores do maior jornal do país uma rota com ateliês de alguns artistas plásticos paraibanos ou aqui radicados. Ela menciona Clóvis Júnior (www.clovisjunior.com.br), Flávio Tavares, e o pintor, escultor e ceramista pernambucano (mas paraibano de coração) Miguel dos Santos (www.migueldossantos.com.br). Este último assina a obra "A Pedra do Reino", em homenagem ao escritor paraibano Ariano Suassuna, que fica no Centro de João Pessoa.

Cachaça paraibana – Em Bananeiras, cidade que fica no Brejo paraibano, Priscila Pastre-Rossi teve a oportunidade de conhecer alguns engenhos e experimentar alguns pratos típicos. “A cachaça paraibana já está entre as melhores do país. Um roteiro pelos engenhos é rico em sabor e história. Estando em Bananeiras, não deixe de ir ao engenho da cachaça Rainha e ao engenho da Cobiçada”.

Desde o início de janeiro, a PBTur vem investindo na chamada mídia espontânea, quando jornalistas dos principais veículos de comunicação do país são convidados a conhecer o destino “Paraíba”. Estiveram conhecendo os principais pontos turísticos do Estado repórteres da revista Panrotas e portal UOL. Estão confirmadas visitas dos jornais O Globo (Rio de Janeiro), Correio Brasiliense (Distrito Federal) e do Estado de Minas (Minas Gerais).

Confira a matéria online na íntegra: http://www1.folha.uol.com.br/turismo/889610-conheca-dez-maneiras-de-amar-a-paraiba-instantaneamente.shtml

Página 1 de 2

Solicite um Orçamento.

  
-
-
Topo